Carregando informações, por favor aguarde...

Home Notícias

Confraria do Livro lança obras inéditas durante o XXI Congresso Brasileiro de Direito Notarial e de Registro

Publicado em: 28/11/2019
Autores realizam sessões de autógrafos dos livros durante os dias 28 e 29


 
Aracaju (SE) – Realizada durante o XXI Congresso Brasileiro de Direito Notarial e de Registro, a Confraria do Livro apresentou as mais novas obras nacionais voltadas ao segmento Notarial e Registral brasileiro. A atividade, integrante da programação oficial do evento, ofereceu um espaço para autores lançarem os livros e também realizarem sessões de autógrafos.
 
Promovido pela Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR), em parceria com a Associação dos Notários e Registradores do Estado de Sergipe (Anoreg/SE), o evento contará com sessões de autógrafos nos dias 28 e 29, a partir das 13h. A exposição dos livros estará presente no saguão de brunch do Congresso, localizado em frente ao acesso à plenária.
 
“Registros Públicos” é um dos livros lançados durante a Confraria. A obra é dividida em sete capítulos, sendo um trabalho conjunto de nove autores especialistas no setor extrajudicial. O juiz de Direito da 8ª Vara Cível de Santo André (SP), Alberto Gentil de Almeida Pedroso, participou da redação do livro e também foi o responsável pela coordenação.


 
“O evento nacional da Anoreg/BR é sem dúvida um dos mais importantes do extrajudicial do País. Como é uma obra com a participação de autores registradores e notários, acredito que é um grande marco podermos trazê-la aqui. É um lugar que nos sentimos acolhidos”, disse. Segundo Gentil, todas as especialidades do extrajudicial são abordadas em sua obra, sendo cada capítulo escrito por um especialista diferente, com atuação na área.
 
Mário Camargo Neto, tabelião de Protesto de Santo André (SP) e secretário geral do Instituto de Estudos de Protestos de Títulos do Brasil – Seção São Paulo (IEPTB/SP), um dos autores do livro, também ressaltou a importância de lançar a obra no Congresso, considerado o maior evento da classe notarial e registral do País.


 
“É uma oportunidade que temos de congregar todos os Estados e todas as visões diferentes sobre a matéria notarial e registral. A iniciativa de lançar no Congresso da Anoreg/BR aproxima as diversas unidades da federação através do diálogo. Tomamos o cuidado de consultar fontes de vários estados, normas, posicionamentos dos colegas, para que colocássemos ali, especificamente na parte do Protesto, como os procedimentos ocorrem em todo o Brasil. Assim, com a experiência de cada localidade, podemos aprimorar nosso trabalho, nossa atuação, e cada vez mais entregar um serviço melhor”, opinou.
 
A obra, que aborda desde o Registro Civil de Pessoas Jurídicas, o Registro Civil de Pessoas Naturais, o Registro de Títulos e Documentos, o Registro de Imóveis, o Tabelionato de Notas, o Tabelionato de Protesto, até a teoria geral de Registros Públicos, também conta com a participação das autoras Ana Paula Almada, Andrea Gigliotti, Bianca Rizato, Daniela Mróz, Izolda Andrea Ribeiro, Jussara Modanezes e Karine Boselli.

 

Já a tabeliã do Cartório de Registro Civil e Notas do Distrito do Barreiro, em Belo Horizonte (MG), Letícia Franco Maculan Assumpção, lançou o livro “Usucapião Extrajudicial: Questões Notariais, Registrais e Tributárias” durante o evento. Co-autora da obra junto à outras duas colaboradoras (Ana Clara Amaral Arantes Boczar e Daniela Bolívar Moreira Chagas), Letícia ressaltou a importância da participação dos profissionais extrajudiciais nos eventos da classe para a troca de conhecimentos e informações.
 
“É sempre importante estarmos presentes nos eventos coletivos, conhecendo os colegas que também produzem obras como nós, podendo falar da importância do nosso trabalho e de se fazer um bom atendimento para os usuários”, relatou.
 
Sobre a obra, já em sua 2ª edição, a tabeliã ressaltou que a ata notarial de usucapião é uma colaboração dos serviços notariais e registrais para a concretização de um sonho de grande parte da população, que é adquirir um imóvel próprio.


 
“As pessoas não têm ideia da importância disso para quem não tem esse imóvel registrado. Às vezes esta pessoa está com o imóvel há 30 anos, talvez mais tempo, e o bem está irregular. É dele, mas não está no nome dele. É uma satisfação enorme ver quando conseguimos colaborar para que uma pessoa possa adquirir um bem; por isso resolvi escrever”, comentou.
 
Segundo a autora, a obra aborda tanto a ata notarial realizada nos Tabelionatos de Notas, quanto o procedimento nos Cartórios de Registro de Imóveis. “Queremos que o profissional se sinta seguro, que saiba como agir para atender bem o cidadão, mas também garantir que a propriedade não seja usurpada por quem não tem direito. A ideia é garantir isso e dar segurança tanto para os tabeliães, quanto para os registradores de imóveis”, concluiu.
Fonte: Assessoria de imprensa Anoreg/BR
Voltar
Compartilhe este conteúdo: